Governo da Bahia

NOTÍCIAS

MORRE EM SÃO PAULO O FUNKEIRO MR. CATRA, AOS 49 ANOS, VÍTIMA DE CÂNCER

Segunda-feira, 10 de Setembro de 2018 / Brasil

Morreu na tarde desde domingo, em São Paulo, Wagner Domingues Costa, conhecido como Mr. Catra. Ele estava internado no Hospital do Coração (HCor), na capital paulista, tratando de um câncer gástrico. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do funkeiro. Ele deixa três mulheres, 32 filhos e quatro netos.

"É com enorme pesar que comunicamos o falecimento do amigo e cliente, Wagner Domingues Costa o Mr Catra, que nos deixou na tarde deste domingo, 9, em decorrência de um câncer gástrico. O cantor e compositor estava internado no hospital do Coração (HCor), em São Paulo, e já vinha lutando contra a doença. A informação foi dada a família pelo cirurgião oncológico, Dr. Ricardo Motta, por volta das 15h20 da tarde. Catra deixou três esposas e 32 filhos. Neste momento de sofrimento, agradecemos o carinho, cuidado e compreensão dos amigos da imprensa, e pedimos, gentilmente, para que respeitem o momento de tristeza da família", diz o comunicado,enviado pela assessoria de imprensa do funkeiro.

Catra lutava contra um câncer no estômago descoberto no início do ano passado. Ele passou por um intenso tratamento, teve que fazer uma dieta restrita, perdeu 35 kg e foi orientado pelos médicos a parar de fumar.

Em nota, o hospital informou a morte do cantor às 15h20, em decorrência de falência multiplos órgãos, ocasionado pelo câncer gástrico.

O funkeiro também precisou tratar recentemente de uma pancreatite, tornando a dieta recomendada pelos médicos ainda mais urgente. Sofrendo também de diabetes, chegou a correr o risco de perder a visão. Por conta do tratamento, ele reduziu o número de shows. Catra estava morando em São Paulo e ia ao hospital uma vez por semana para realizar sessões de quimioterapia.

Com sua voz cavernosa e defensor do papel libertário da música, Catra acumulou hits comerciais com letras sacanas, como “Adultério” (versão de “Tédio”, do Biquíni Cavadão), “Vem todo mundo” e “Uh papai chegou”. Através de seu apadrinhamento, ajudou a revelar outros nomes de ponta do gênero, como Tati Quebra-Barraco e Gaiola das Popozudas, grupo de onde saiu Valesca. Foi com ela que Catra gravou outro grande sucesso, o despudorado “Mama”.

Sua trajetória foi contada em documentário (“90 dias com Catra”), livro (“"A estética funk carioca: criação e conectividade em Mr. Catra", da antropóloga Mylene Mizrahi) e inúmeros programas de televisão. 


Blogbraga/Extra

Compartilhar no Whatsapp

Bolsonaro leva facada durante ato de campanha em Juiz Fora, diz Polícia Militar de Minas: Veja o vídeo

Quinta-feira, 06 de Setembro de 2018 / Brasil

Um ato de campanha do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, foi interrompido na tarde desta quinta-feira (6), em Juiz de Fora (MG), após um tumulto generalizado. Segundo a Polícia Militar de Minas Gerais, o presidenciável levou uma facada na região do tórax.

No momento da confusão, Bolsonaro estava sendo carregado nos ombros por um apoiador de sua campanha, fazendo corpo a corpo com eleitores, na região do Parque Halfald. Enquanto ele acenava para os simpatizantes de sua candidatura, uma pessoa se aproximou dele e, supostamente, deu uma facada no presidenciável.

De acordo com o filho de Bolsonaro, Flavio, o candidato sofreu um ferimento superficial e passabem. Suspeito foi preso.


Blogbraga/Texto G1/ Vídeo redes sociais

Compartilhar no Whatsapp

Beatriz Segall morre em SP aos 92 anos

Quarta-feira, 05 de Setembro de 2018 / Brasil

A atriz Beatriz Segall morreu nesta quarta-feira (5) aos 92 anos, informou a assessoria de imprensa do hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, onde ela estava internada.

Em uma carreira de mais de 70 anos dedicada aos palcos e à TV, Beatriz Segall viveu em 1988 o papel que a eternizou na teledramaturgia brasileira. Após 192 capítulos da novela “Vale tudo”, a vilã interpretada pela atriz carioca morria com três tiros e fazia o país inteiro se perguntar: “Quem matou Odete Roitman?”

Beatriz Segall esteve internada no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e tinha recebido alta no dia 21 de agosto por problemas respiratórios. O hospital não informou quando ela voltou a ser internada. A causa da morte não foi divulgada.

Segundo a assessoria de imprensa da atriz, Beatriz Segall morreu por volta de 12h. Ela será velada no próprio hospital a partir das 19h e o corpo será cremado nesta quinta-feira (6) em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.


Blogbraga/G1

Compartilhar no Whatsapp

BRASIL: Consumidores pagarão R$ 1,937 bi a mais de luz para cobrir subsídios

Quarta-feira, 05 de Setembro de 2018 / Brasil

Os consumidores de energia elétrica terão que pagar mais para cobrir o custo dos subsídios do setor. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira (4) a revisão do orçamento da CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), taxa embutida na conta de luz que banca programas sociais, descontos tarifários e empréstimos subsidiados para o setor. Para que seja possível conceder esses benefícios, todos os consumidores precisam pagar contas mais altas.

A proposta da Aneel, apresentada no dia 7 de agosto, previa que seria necessário aumentar a arrecadação em R$ 1,446 bilhão. Porém, após a audiência pública, o órgão regulador decidiu elevar o valor necessário para bancar as despesas da CDE em R$ 1 937 bilhão.

Segundo o relator, diretor Rodrigo Limp, os gastos do fundo setorial serão mais altos do que o previsto, enquanto as receitas serão mais baixas do que o projetado.

A CDE é um fundo setorial que concede benefícios a diversos grupos de interesse, como a tarifa social da baixa renda e o programa Luz para Todos, descontos para diversos grupos, como agricultores e irrigantes, subsídios para energias renováveis e para a compra de carvão, empréstimos subsidiados para as distribuidoras da Eletrobras, compra de combustível para usinas termelétricas em regiões isoladas, entre outros.

O orçamento do fundo neste ano era de R$ 18,843 bilhões, dos quais R$ 16,019 bilhões seriam pagos pelos consumidores e o restante por receitas próprias. Porém, com a queda das receitas e aumento dos gastos, o orçamento teve que ser elevado para R$ 20,053 bilhões. "Esse é o custo da política pública", disse o diretor-geral da Aneel, André Pepitone.

Os principais itens que levaram ao aumento do custo foram os gastos com compra de carvão mineral, elevados de R$ 752 milhões para R$ 850 milhões; o combustível usado para abastecer termelétricas de regiões isoladas no Norte do País, de R$ 5,346 bilhões para R$ 5,849 bilhões; os subsídios para grupos de interesse, que subiram de R$ 6,944 bilhões para R$ 8,362 bilhões; a subvenção para cooperativas, de R$ 155 milhões para R$ 179 milhões.

Foram cortadas as despesas com o programa Luz para Todos, de R$ 1,172 bilhão para R$ 941 milhões; os descontos tarifários na transmissão, de R$ 503 milhões para R$ 362 milhões; e a reserva técnica, de R$ 460 milhões, que foi utilizada. Ficaram inalteradas as despesas com itens como restos a pagar, tarifa social da baixa renda e a remuneração do administrador do fundo.

O aumento do gasto será repassado aos consumidores na data do reajuste tarifário de cada distribuidora, mas já vem sendo aplicado desde o início de agosto. Para as empresas que já tiveram reajuste tarifário neste ano, o valor só será repassado em 2019.

O pedido de revisão do orçamento da CDE foi solicitado pela CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), que administra o fundo setorial e informou a existência do déficit à Aneel.

A analista técnica da diretoria de Energia da Abrace (Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia), Natália Moura de Oliveira, lamentou o aumento do orçamento da CDE e o repasse do custo aos clientes. "Aumentar o custo do subsídio é aumentar a ineficiência do setor", afirmou.


Blogbraga/Estadão

Compartilhar no Whatsapp

Tema da redação do Enem não deve ser preocupação dos estudantes, aconselha especialista

Terça-feira, 04 de Setembro de 2018 / Brasil

Candidatos devem concentrar esforços em trabalhar soluções de problemas e treinar habilidades de escrita para construir texto com calma e sem contradições; 1° prova acontece em 4 de novembro

Na virada do segundo semestre, quando o Exame Nacional do Ensino (Enem) começa a se aproximar, estudantes de todo do Brasil dão início a uma jornada de palpites sobre possíveis temas a serem trabalhados na redação da prova. Assuntos da atualidade, discussões que estiveram nas capas dos jornais, novas leis e acontecimentos marcantes, entram na lista de sugestões. Conhecido por propor temas de impacto social, em 2017 o Exame sugeriu que os estudantes refletissem sobre o “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil".

Para a coordenadora do curso de Letras do Centro Universitário Internacional Uninter e orientadora do Pré-Enem Uninter, Paula Reis, apesar da óbvia importância de trazer à tona a discussão sobre inclusão de surdos na sociedade, o assunto pegou diversos candidatos de surpresa devido à falta de preparação para pensar em soluções. “Não foi o tema que os surpreendeu, mas, sim, o fato de não estarem ainda habituados a refletir sobre o que os rodeia”, acredita.

De acordo com a orientadora do Pré-Enem Uninter, os estudantes podem ficar tranquilos quanto ao assunto a ser cobrado na avaliação; o importante é canalizar energias de estudo em como pôr no papel seus argumentos sem perder na lógica quando confrontado com problemas. “Há uma infinidade de possíveis temas e que jamais serão esgotados. Além disso, ninguém oferecerá uma ideia brilhante capaz de sanar todos os problemas do mundo e os corretores sabem. Foque em oferecer soluções possíveis, pequenas mudanças com teor cidadão, mas efetivas. Já valem o ponto”, aconselha.

Na visão dos avaliadores do Exame, afirma, o mais importante é que o candidato consiga por meio das palavras e posicionamentos demonstrar noções claras de cidadania, de participação social. “O efeito surpresa do tema é justamente para detectar quem tem esse perfil”, ressalta Paula. Por isso, tentar descobrir o tema não deve ser uma preocupação dos estudantes: esqueça o discurso pronto e invista em reflexão sobre o que acontece no Brasil.

Cinco áreas de avaliação: como se sair bem

Uma das características mais fortes do Exame, explica Paula, é a exigência de propor soluções a problemas da sociedade de maneira argumentativa. Assim, o foco dos candidatos deve ser trabalhar seu potencial de criar conclusões frente às dificuldades sociais. “Nós vivemos em um país de desigualdades. O mais importante não é descobrir qual desigualdade será colocada em discussão, mas saber que existem e querer resolvê-las”, sugere a coordenadora.

Competência número 1  - Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita. 

Competência número 2 - Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento, para desenvolver o tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Competência número 3 - Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Competência número 4 - Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Competência número 5 - Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Na redação, são cinco áreas de avaliação; cada uma com valor máximo de 200 pontos. Ao fazer exercícios de treinamento, os estudantes devem ser “menos apaixonados” e pensar em detalhes como o domínio da Língua Portuguesa e construção de texto com começo, meio e fim. “Preocupem-se em saber como fazer rascunho sem rasurar o documento da prova, construir um texto com começo, meio e fim, a ser pontual e não se desesperar”.

No entanto, é importante que os estudantes fiquem atentos para não ferir a Constituição brasileira no texto. “É um concurso como qualquer outro de nível federal e que não permite expressão de ofensa, injúria ou calúnia no texto. Precisamos conscientizar os estudantes que preconceito não é opinião e jamais será um argumento válido”, finaliza.

Sobre o Grupo Uninter 

O Grupo UNINTER é o maior centro universitário do país, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).  Sediado em Curitiba – PR, já formou mais de 500 mil alunos e, hoje, tem mais de 200 mil alunos ativos nos mais de 200 cursos ofertados entre graduação, pós-graduação, mestrado e extensão, nas modalidades presencial, semipresencial e a distância. Com mais de 700 polos de apoio presencial, estrategicamente localizados em todo o território brasileiro, mantém quatro campi no coração de Curitiba. São 2 mil funcionários trabalhando todos os dias para transformar a educação brasileira em realidade. 


Blogbraga/Assessora de imprensa da Uninter Lorena Oliva Ramos

Compartilhar no Whatsapp

CAMPANHA CONTRA PÓLIO E SARAMPO É PRORROGADA ATÉ 14 DE SETEMBRO

Terça-feira, 04 de Setembro de 2018 / Brasil

O Ministério da Saúde prorrogou até 14 de setembro a campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo. Pelos dados preliminares, a média de vacinação está em 88%. Em apenas sete Estados a meta de vacinar pelo menos 95% do público-alvo foi atingida.

Estados e municípios que não atingiram a meta devem manter a campanha por mais 15 dias. Devem ser vacinadas contra a poliomielite o sarampo crianças de 1 ano a 4 anos e 11 meses.

Até o momento, mais de 1,3 milhão de crianças não recebeu o reforço dessas vacinas. A recomendação é que estados e municípios façam busca ativa para garantir que o público-alvo da campanha seja vacinado.

Dados

Os Estados que atingiram a meta de vacinação são Amapá, Santa Catarina, Pernambuco, Rondônia, Espírito Santo, Sergipe e Maranhão.

O Rio de Janeiro continua com o menor índice de vacinação, seguido por Roraima, Pará, Piauí, Distrito Federal, Acre, Bahia, Rio Grande do Sul, São Paulo, Alagoas, Rio Grande do Norte e Amazonas.

Em todo o país, foram aplicadas mais de 19,7 milhões de doses das vacinas (cerca de 9,8 milhões de cada).


Blogbraga/Campanha

Compartilhar no Whatsapp

Incêndio de grandes proporções destrói o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista no Rio de Janeiro

Segunda-feira, 03 de Setembro de 2018 / Brasil

Um incêndio de grandes proporções destrói o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, Zona Norte do Rio. O fogo começou por volta das 19h30 deste domingo (2) e até a última atualização desta reportagem seguia destruindo as instalações da instituição criada completou 200 anos em 2018.

Segundo a assessoria de imprensa do museu, não há feridos. Quatro vigilantes estavam no local, mas conseguiram sair a tempo. As causas do fogo, que começou após o fechamento para a visitantes, ainda serão investigadas.

Calcula-se que o acervo tenha cerca de 20 milhões de itens, que estão sendo destruídos pelo fogo.

Em reportagem recente, a GloboNews mostrou a falta de estrutura que afetava o Museu Nacional, que necessitava de várias reformas.

“O fogo está comendo todo o Museu Nacional, completamente. Eu vi uma fumaça saindo e depois começaram as chamas. Está completamente tomado o Museu Nacional. Eu ouvi o carro do Corpo de Bombeiros na Quinta da Boa Vista. Olhando de frente para o museu, o fogo começou do lado direito. Apagaram a luz do parque. Está pegando muito fogo mesmo”, disse a moradora Sylvia Guimarães.


Blogbraga/G1

Compartilhar no Whatsapp

Piloto Tiago Fantozzi alcança colocação de destaque no Rally dos Sertões

Quinta-feira, 30 de Agosto de 2018 / Brasil

Atleta, patrocinado pela ALE, competiu em categoria inédita na competição, que ocorreu entre os dias 18 e 25 de agosto

Desde 2011 fora de competições, o piloto Tiago Fantozzi voltou à ativa na última semana, durante o Rally dos Sertões, realizado, entre os dias 18 e 25 de agosto. Afastado dos ralis por conta de um acidente, Fantozzi conquistou, em seu retorno, o quarto lugar na inédita categoria “Self”, em que o atleta percorreu o trajeto sem equipe de apoio e utilizou um tipo de estrutura de acampamento coletivo.

“Foi um desafio novo para mim. Meu principal objetivo na competição deste ano era terminar. Fiquei muito feliz em ter conseguido isso”, celebra o atleta, que se surpreendeu com o resultado. “Fiquei 150% satisfeito. Superei até as minhas próprias expectativas. Não esperava ter um desempenho como esse entre os melhores pilotos do Brasil”, conta Fantozzi.

A competição, que foi realizada, neste ano, no trajeto entre Goiânia (GO) e Fortaleza (CE), contou com mais uma novidade: a transmissão ao vivo da disputa pelo Instagram. “Ter sido reconhecido nas cidades pelas quais passamos foi fantástico. As cidades aglomeravam pessoas que esperavam a gente chegar”, recorda o piloto, satisfeito pelo retorno. “Pilotar é o que eu faço de melhor. É o que eu gosto de fazer com um sorriso no rosto”, afirma o atleta, que completou sua 18ª participação no Rally dos Sertões e conquistou o primeiro lugar geral em um dos dias de competição.

Depois do episódio de superação, Tiago Fantozzi fez questão de exaltar a importância da parceria com a distribuidora de combustíveis ALE na sua conquista. “Pra mim, como atleta, é fundamental ter uma empresa como a ALE para dar um start na competição. A companhia, que é a quarta maior do Brasil, foi a semente e o ponto zero pra tudo isso acontecer. Tenho uma empatia muito grande com a empresa, que transcende o lado profissional”, afirmou o piloto.

Sobre Tiago Fantozzi

Primeira participação em competições esportivas: em 1987, aos 7 anos de idade.

18 participações no Rally dos Sertões.

Pai, tio, irmãos e primos já participaram competindo no do Rally dos Sertões.

14 participações competindo na modalidade “Moto”.

Primeira participação no Rally dos Sertões em 1999, aos 19 anos.

7 resultados entre os três primeiros colocados.

Campeão na Geral em 2001, piloto mais jovem a vencer a competição.

Histórias de superação

Em 2002, o piloto competiu por mais de 6 horas com um toco dentro do pé, completando aproximadamente 1.500km com o pé esquerdo imobilizado.

Em 2006, disputa acirrada minuto a minuto com o principal atleta da modalidade, campeão mundial no ano, ícone na modalidade.

Em 2009 - Competiu 70% da edição (mais de seis dias) com ligamentos da perna rompidos.

Em uma das cenas mais impressionantes já captadas no Sertões, uma ave bate em seu capacete em alta velocidade, fazendo Tiago tirar as duas mãos do guidão, mas retomou o controle sem causar acidente.

Sobre a ALE

Fundada em 1996, a ALE é a quarta maior distribuidora de combustíveis do país, com uma rede de cerca de 1,5 mil postos em 21 Estados brasileiros.


Blogbraga/Rally dos Sertões 2018

Compartilhar no Whatsapp

Mais da metade da população da BA vive em apenas 35 das 417 cidades do estado; 23,4% estão em Salvador ou Feira

Quinta-feira, 30 de Agosto de 2018 / Brasil

Dados divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira (29) apontam que 7.470.167 dos 14.812.617 baianos (50,4%) estão concentrados nos 35 maiores municípios do estado.

Mais da metade da população da Bahia vive em apenas 35 das 417 cidades do estado. Quase 1/4 dessas pessoas mora em Salvador ou Feira de Santana, que fica a cerca de 100 km de capital. Os dois municípios são considerados os maiores do estado.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o órgão, 7.470.167 milhões dos 14.812.617 milhões de baianos (50,4%) estão concentrados nas 35 maiores cidades baianas, que correspondem a 8,4%.

São elas: Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Camaçari, Juazeiro, Itabuna, Lauro de Freitas, Ilhéus, Teixeira de Freitas, Jequié, Barreiras, Alagoinhas, Porto Seguro, Simões Filho, Paulo Afonso, Eunápolis, Santo Antônio de Jesus, Valença, Candeias, Luís Eduardo Magalhães, Gunambi, Serrinha, Jacobina, Dias D'ávila, Senhor do Bonfim, Itapetinga, Irecê, Casa Nova, Campo Formoso, Bom Jesus da Lapa, Brumado, Conceição do Coité, Itamarajú, Itaberaba e Cruz das Almas.

Na capital e em Feira de Santana, vivem cerca de 3,6 milhões de baianos, o que corresponde a 23,4% da população total do estado. Elas são as únicas com mais de 500 mil habitantes no estado. Salvador tem 2.857.329 milhões e Feira 609.913 mil.

Além das duas cidades, Vitória da Conquista, Camaçari e Juazeiro integram o top 5. Por outro lado, Catolândia (3.555 mil), Lafaiete Coutinho (3.757 mil), Lajedinho (3.808 mil), Lajedão (3.934 mil) e Dom Macedo Costa (4.050 mil) seguem como as cinco menores cidade do estado.

A Bahia continua é a quarta maior população entre as unidades da Federação, abaixo apenas de São Paulo (45.538.936 mil pessoas), Minas Gerais (21.040.662 mil habitantes) e Rio de Janeiro (17.159.960 mil pessoas).

Revisão

Com a revisão da Projeção de População realizada em 2018, e divulgada em 25 de julho pelo IBGE, a estimativa de população para a Bahia, neste ano, caiu de 15.344.447 milhões para 14.812.617 milhões de pessoas, 3,5% menor que a estimativa de 2017.

Segundo o IBGE, a revisão do cálculo para baixo ocorreu em consequência, sobretudo, de uma redução no componente natalidade, uma vez que o número de nascimentos registrados no estado, entre 2000 e 2016, foi menor do que previa a projeção anterior, de 2013.

A revisão na projeção da população da Bahia para 2018 repercutiu nas estimativas populacionais de todos os municípios do estado, inclusive Salvador. A capital teve sua população estimada em 2.857.329 pessoas neste ano, 3,3% menor que a de 2017, que havia sido de 2.953.986 pessoas.

Apesar disso, a capital também se manteve como a quarta maior cidade do país, em termos populacionais, embora tenha aumentado sua distância em relação à terceira colocada, Brasília (com 2.974.703 moradores estimados em 2018) e reduzido em relação a Fortaleza, quinta colocada (com 2.643.247 pessoas).

Dos 417 municípios baianos, apenas Luís Eduardo Magalhães, no oeste do estado, não teve sua população reduzida entre 2017 e 2018: passando de 83.557 habitantes para 84.753, o que equivale a um aumento de 1,43% (mais 1.196 pessoas). Todos os demais sofreram ajustes para se adequar ao novo patamar populacional do estado.


Blogbraga/G1

Compartilhar no Whatsapp

Rally dos Sertões chega ao Ceará e encerra 26ª edição neste sábado

Sábado, 25 de Agosto de 2018 / Brasil

Etapa desta sexta-feira teve nova troca de liderança nos UTVs, e primeiras colocações mantidas nas outras três categorias

O Rally dos Sertões chegou ao Ceará nesta sexta-feira (24), após completar a sexta de suas sete especiais, que teve um percurso de 226 quilômetros cronometrados e 602 quilômetros de percurso total entre as cidades de São Raimundo Nonato (PI) e Juazeiro do Norte (CE). Tiago Fantozzi, nas motos, Cristian Baumgart e Beco Andreotti, nos carros, Enrico Amarante e Breno Rezende, nos UTVs, e George Ximenes, nos quadriciclos, triunfaram nas especiais.

Os resultados do dia também causaram a mudança na liderança da prova nos UTVs. A categoria conta agora com Amarante e Rezende na dianteira, tomando a primeira posição de Denísio Nascimento e Idali Bosse. Tunico Maciel, Cristian Baumgart e Beco Andreotti, e Wescley Dutra mantiveram suas lideranças nas categorias motos, carros e quadriciclos.

Nas motos, Tiago Fantozzi triunfou pela primeira vez em uma especial nesta sexta-feira, ao completar o percurso cronometrado em 3h01min42s, marca 1min08s melhor em relação ao segundo colocado do dia, Ricardo Martins. Tunico Maciel ficou com a terceira colocação, terminando à frente de Elias Folly na classificação deste estágio. O grupo dos cinco primeiros ainda contou com Mário Marchiori.

Após a realização de seis especiais, Tunico Maciel ponteia entre as motos, agora com um acumulado de 24h11min26s, e carrega para a especial decisiva do Sertões uma vantagem de 27min54s para Ricardo Martins, o segundo colocado. Gregório Caselani, sexto melhor da especial desta sexta-feira, aparece em terceiro, logo à frente de Mário Marchiori. O quinto colocado é Túlio Malta.

Nos carros, Cristian Baumgart e Beco Andreotti acumularam nesta sexta-feira a quarta vitória em especial desta edição ao fecharem o trajeto em 2h32min52s, marca 1min11s abaixo do tempo obtido pelos segundos colocados Marcos Baumgart e Kleber Cincea. Rafael Cassol e Lélio Júnior ficaram com a terceira posição, enquanto Sylvio de Barros e Rafael Capoani apareceram na quarta posição. O top-5 do dia ainda contou com os argentinos Fernando Álvarez e Juan Monasterolo.

Na soma de tempos das seis especiais já disputadas, Cristian Baumgart e Beco Andreotti aparecem na liderança, agora com 19h00min44s, 11min49s à frente de Sylvio de Barros e Rafael Capoani, os vice-líderes. Rafael Cassol e Lélio Júnior ocupam o terceiro lugar, sendo seguidos por Lucas Moraes e Kaíque Bentivolglio. A lista dos cinco primeiros ainda conta com Luiz Facco e Humberto Ribeiro.

Enrico Amarante e Breno Rezende foram os vencedores da especial entre os competidores dos UTVs, ao completarem os 226 quilômetros em 2h54min50s, marca apenas 39 segundos melhor em relação aos segundos colocados do dia, Edinardo Filho e Lauro Sobreira. Após enfrentarem problemas na quinta-feira, Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin foram os terceiros mais rápidos, deixando Riamburgo Ximenes e Flávio França em quarto. Denísio Nascimento e Idali Bosse fecharam a lista dos cinco mais rápidos.

A vitória na especial também deu a liderança do Sertões para Enrico Amarante e Breno Rezende, que agora têm 24h51min15s acumulados, e aparecem 3min26s à frente de Denísio Nascimento e Idali Bosse, os segundos colocados. Gabriel Cestari e Jhonatan Ardigo ocupam a terceira posição na folha de classificação, e são seguidos por Edu Piano e Solon Fonseca. Marcelo Gastaldi e Claudio Rieser são os quintos colocados.

Nos quadriciclos, a vitória do dia ficou com George Ximenes, que após enfrentar problemas na quinta-feira, triunfou pela quarta vez nesta edição do Sertoes ao fechar a especial em 3h17min49s, batendo Wescley Dutra, o segundo mais rápido, em 2min34s. Giovanni Filho foi o terceiro, terminando logo à frente de Geison Belmont. Hélio Pessoa foi o quinto colocado.

Restando uma especial, a classificação aponta Wescley Dutra na liderança com 31h20min58s. Giovanni Filho é o segundo, separado por 15min08s do primeiro colocado. George Ximenes aparece na terceira colocação, enquanto Cival Alves é o quarto melhor na folha de tempos. Geison Belmont completa o grupo dos cinco melhores desta categoria.

A especial decisiva do Rally dos Sertões será disputada neste sábado (25), entre as cidades de Juazeiro do Norte e Fortaleza. O percurso total é de 656 quilômetros, com uma especial de 200 quilômetros. A chegada acontecerá no aterro da Praia de Iracema, em evento aberto ao público.

A última e decisiva especial começa com um trecho de trial bem sinuoso e estreito, com muitas pedras, onde qualquer erro pode custar caro. O caminho segue sinuoso, alternando trechos de média e baixa velocidade para cruzar o sertão central. O percurso contará com muitas barragens estreitas, rios secos e a especial continua dura até o final. Com os equipamentos exigidos ao extremo, pilotos e máquinas seguirão por rodovias pavimentadas até Fortaleza, rumo à Praia de Iracema. Só aí, na rampa de chegada, serão conhecidos os vencedores desta edição duríssima.

O Rally dos Sertões é organizado pela Dunas Race e tem patrocínio da Mitsubishi Motors, Honda, Divino Fogão e Caixa. Apoio institucional: Detran Goiás, Estado de Goiás, Secretaria de Turismo de Fortaleza, Prefeitura de Fortaleza e Conselho Nacional do SESI. Apoio: Cartões ELO, Fox Sports, Truckvan, S.A.S. Brasil, Infraero, Vigor, Fotop, Arco Media, 99 e Jovem Pan Goiânia e Fortaleza.


Blogbraga/Rally dos Sertões 2018

Compartilhar no Whatsapp

Vacina do SUS contra o sarampo pode ser aplicada em adultos e crianças; entenda

Quarta-feira, 22 de Agosto de 2018 / Brasil

Brasil assiste em 2018 ao retorno do sarampo, infecção que já foi considerada "doença comum na infância" décadas antes de ser eliminada do Brasil em meados dos anos 1990. São dois surtos: em Roraima (296 casos confirmados) e no Amazonas (910 casos). Outros estados também apresentam casos da doença:

Casos de sarampo confirmados até 14 de agosto

ESTADO CASOS
Amazonas 910
Roraima 296
São Paulo 1
Rio de Janeiro 14
Rio Grande do Sul 13
Rondônia 1
Pará 2
TOTAL 1237

O Ministério da Saúde acredita que vá conseguir controlar os surtos, mas ressalta que o aumento das taxas de vacinação é importantíssimo para garantir o controle da doença. Juntamente com o sarampo, o país também está atento à circulação e às baixas coberturas vacinais da poliomielite.

Por isso, neste ano, a campanha de vacinação é indiscriminada: todas as crianças com um a cinco anos precisam ser vacinadas.

Como funciona:

Crianças que não receberam nenhuma dose irão receber a Vacina Inativada Poliomielite (VIP)
Crianças que já tomaram uma ou mais doses receberão a Vacina Oral Poliomielite (VOP) - conhecida como gotinha
Para o sarampo, todas as crianças receberão a vacina Tríplice viral, independente do histórico de vacinação, que também protege contra a caxumba e a rubéola.

Mas quem pode tomar a vacina?

Pessoas de todas as idades, diz Isabela Ballalai. O Ministério da Saúde, no entanto, disponibiliza duas doses para os indivíduos entre 12 meses e 29 anos. Na rede pública, também é possível a vacinação gratuita até os 49 anos (nesse caso, uma dose é administrada). O governo recomenda, no entanto, que os adultos vão até as unidades de saúde após o fim da campanha deste ano direcionada às crianças, no dia 31 de agosto, para garantir uma dose e não sobrecarregar os postos.

"Os indivíduos acima de 50 anos provavelmente já pegaram a doença e já estariam imunizados pelas altas taxas de vacinação nos mais jovens. Mas nada impede que procurem a vacina individualmente", afirma Isabela.

Quem não pode tomar a vacina?

Gestantes, casos suspeitos de sarampo, crianças menores de seis meses de idade e pessoas imunocomprometidas (com doenças que abalam fortemente o sistema imune) .

A vacina é segura?

Sim, afirmam o Ministério da Saúde e a SBim (Sociedade Brasileira de Imunizações). Ela é feita de vírus atenuado (enfraquecido) e em décadas de imunização no mundo inteiro, apenas casos de alergia a produtos do leite contidos na vacina foram reportados.

Hoje, no entanto, há vacinas sem traços de lactoalbumina (proteína do leite da vaca).

Não lembro se tomei a vacina. Devo tomar?

"No sinal de qualquer dúvida sobre se tomou a vacina ou não, ou se teve a doença no passado, vale tomar a vacina. Na pior das hipóteses, a pessoa vai se imunizar à toa" -- Isabela Ballalai (Sociedade Brasileira de Imunizações).

A vacina tem reforço?

Não. Duas doses valem para a vida inteira. Quem já teve a doença também está protegido.

O que tem dentro da vacina?

A vacina oferecida na rede pública é a tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola.

Dentro da vacina, há os três vírus enfraquecidos, albumina e aminoácidos (proteínas), sulfato de neomicina (medicamento usado contra infecções), sorbitol (um tipo de açúcar derivado do álcool) e gelatina.

Algumas vacinas contêm traços de proteína do leite da vaca.

O que é o sarampo? Quais os sintomas? É grave?
O sarampo é uma doença causada por um vírus, que já foi muito prevalente na infância de todas as crianças brasileiras, mas está eliminada do Brasil desde os anos 1990 – apesar dos surtos pontuais desde então.

Os sintomas começam com febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular e corrimento no nariz, informa a Fiocruz. Pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia e convulsões. No limite, a doença provoca lesão cerebral e morte.

Manchas vermelhas na pele são uma característica conhecida da doença. Elas aparecem primeiro no rosto e vão em direção aos pés.

O vírus também pode atingir as vias respiratórias, causar diarreias e até infecções no encéfalo.

Todo mundo pode pegar sarampo? Como é a transmissão? Como prevenir?
Sim. "A doença tem distribuição universal", diz o Ministério da Saúde.

"Todo mundo pode pegar, rico, pobre, adulto ou criança", informa Isabella.
A transmissão ocorre diretamente, de pessoa para pessoa, por tosse, espirro, fala ou respiração. Por isso, a doença é considerada altamente contagiosa e a única forma efetiva de prevenção é a vacina.

Tem teste para identificar o sarampo?

O teste para verificar a presença do vírus é feito por meio da identificação de anticorpos específicos contra o micro-organismo. Só é possível fazer o exame, no entanto, na fase aguda da doença – desde os primeiros dias até quatro semanas após o surgimento das alterações na pele.

Algum grupo está mais vulnerável? Há algum 'grupo de risco'?
Todos podem pegar a doença, mas recém-nascidos estão mais vulneráveis. Gestantes, imunossuprimidos (pessoas com doenças que abalam fortemente a imunidade) e aqueles com grave problema de desnutrição estão mais suscetíveis a infecções graves.

Tem tratamento?

Segundo o Ministério da Saúde, não há tratamento específico para o sarampo. É recomendável a administração de vitamina A para reduzir casos fatais.

Já nos casos sem complicações mais graves, é recomendável manter a hidratação, uma boa alimentação e o controle da febre.


Blogbraga/G1

Compartilhar no Whatsapp

Saiba quem são os candidatos a presidente nas eleições 2018

Segunda-feira, 06 de Agosto de 2018 / Brasil

Com a convenção do PPL, que lançou, neste domingo (5), João Goulart Filho como candidato à Presidência da República, 14 candidatos foram escolhidos pelas legendas para concorrer ao cargo de presidente da República. Segundo a legislação eleitoral, as chapas completas com os candidatos, vices, alianças ou coligações têm de ser oficializadas até amanhã (6). Veja quem são os candidatos a presidente:

Álvaro Dias (Podemos)

O senador Álvaro Dias foi escolhido pelos convencionais do Podemos para ser candidato à Presidência da República. A candidatura do parlamentar pelo Paraná foi oficializada em Curitiba, durante convenção nacional do partido. Na primeira fala como candidato, Álvaro Dias anunciou que, se eleito, vai convidar o juiz federal Sérgio Moro para ser ministro da Justiça, e repetiu a promessa de “refundar a República”.

Ele vai compor a chapa com o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, cujo partido, o PSC, havia decidido lançar candidatura própria à Presidência, mas desistiu em favor de uma aliança com o Podemos. Além do PSC, fazem parte da coligação até agora os partidos PTC e PRP.

Cabo Daciolo (Patriota)

A convenção nacional do Patriota oficializou a candidatura do deputado federal Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos, o Cabo Daciolo. O evento ocorreu no município de Barrinha, no interior de São Paulo. O candidato foi escolhido por unanimidade. A candidata a vice é Suelene Balduino Nascimento, do mesmo partido. Ela é pedagoga com 23 anos de experiência e atua na rede pública de ensino do Distrito Federal.

Daciolo defende mais investimentos em educação e segurança por considerar áreas essenciais para o crescimento do país. Em discurso durante a convenção, Daciolo se posicionou contrário à legalização do aborto e à ideologia de gênero.

Ciro Gomes (PDT)

O PDT confirmou no dia 20 de julho a candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República, na convenção nacional que reuniu filiados do partido.

Esta é a terceira vez que Ciro Gomes será candidato à Presidência da República: em 1998 e 2002, ele concorreu pelo PPS. Natural de Pindamonhangaba (SP), construiu sua carreira política no Ceará, onde foi prefeito de Fortaleza, eleito em 1988, e governador do estado, eleito em 1990. Renunciou ao cargo de governador, em 1994, para assumir o Ministério da Fazenda, no governo Itamar Franco (1992-1994), por indicação do PSDB, seu partido na época. Ciro Gomes foi ministro da Integração Nacional de 2003 a 2006, no governo do ex-presidente Lula. Tem 60 anos e quatro filhos.

Geraldo Alckmin (PSDB)

Em convenção nacional realizada na capital federal, o PSDB confirmou, nesse sábado (4), a candidatura do presidente do partido e ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, à Presidência da República nas eleições de outubro. Dos 290 votantes, 288 aprovaram a candidatura de Alckmin. Houve um voto contra e uma abstenção. A senadora Ana Amélia (PP-RS) é a vice na chapa.

No primeiro discurso como candidato, Alckmin disse que quer ser presidente para unir o país e recuperar a "dignidade roubada" dos brasileiros. Ele defendeu a reforma política, a diminuição do tamanho do Estado e a simplificação tributária para destravar a economia.

Guilherme Boulos (PSOL)

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores SemTeto (MTST), Guilherme Boulos, foi lançado no dia 21 de julho como candidato à Presidência da República pelo PSOL, na convenção nacional em São Paulo. Também foi homologado o nome de Sônia Guajajara, representante do povo indígena, para vice-presidente.

Boulos destacou que irá defender temas que pertencem aos princípios do partido, como o direito ao aborto e à desmilitarização da polícia.

Henrique Meirelles (MDB)

O MDB confirmou, no dia 2 de agosto, o nome de Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda, como candidato à Presidência da República. O partido informou que Germano Rigotto, ex-governador do Rio Grande do Sul, será o vice na chapa.

Henrique Meirelles destacou como prioridades investimentos em infraestrutura, para diminuir as distâncias no país, além de saúde e segurança pública. O presidenciável também prometeu reforçar o Bolsa Família. Para gerar empregos, Meirelles disse que pretende resgatar a política econômica, atrair investimentos e fazer as reformas para que o país cresça 4% ao ano.

Jair Bolsonaro (PSL)

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), 63 anos, foi confirmado, no dia 22 de julho, como o candidato à Presidência da República nas eleições deste ano pelo PSL. O vice é o general Hamilton Mourão, do PRTB.

Na convenção, Bolsonaro adiantou que, se eleito, quer excluir o ministério das Cidades e fundir pastas como Fazenda e Planejamento, assim como Agricultura e Meio Ambiente. O candidato prometeu ainda privatizar estatais.

João Amoêdo (Partido Novo)

João Dionisio Amoêdo foi oficializado candidato à Presidência da República pelo Partido Novo durante convenção na capital paulista, no dia 4 de agosto. O cientista político Christian Lohbauer foi escolhido como candidato à vice-presidente. Entre as principais propostas de Amoêdo estão equilibrar as contas públicas, acabar com privilégios de determinadas categorias profissionais, melhorar a educação básica e atuar fortemente na segurança. O presidenciável também é favorável à revisão do Estatuto do Desarmamento.

João Amoêdo disse que quer levar renovação à política e mudar o Brasil. O presidenciável defendeu a privatização de empresas estatais.

João Goulart Filho (PPL)

O PPL lançou, no dia 5 de agosto, João Goulart Filho como candidato à Presidência da República. Ele é filho do ex-presidente João Goulart, o Jango, que teve mandato presidencial, de 1961 a 1964, interrompido pela ditadura militar. É a primeira vez que João Goulart Filho concorre ao cargo.

O candidato a vice é Léo Alves, professor da Universidade Católica de Brasília. Algumas propostas do candidato são a redução drástica dos juros da dívida pública para dar condições ao Estado de investir no desenvolvimento social, o resgate da soberania, o controle das remessas de lucros das empresas estrangeiras e a revisão do conceito de segurança nacional.

José Maria Eymael (DC)

O partido Democracia Cristã (DC) confirmou, no dia 28 de julho, durante convenção na capital paulista, a candidatura de José Maria Eymael à Presidência da República, nas eleições de outubro, e do pastor da Assembleia de Deus Helvio Costa como vice-presidente.

Na área econômica, as diretrizes gerais de governo do DC incluem política macroeconômica orientada para diminuição do custo do crédito ao setor produtivo, apoio e incentivo ao turismo e a valorização do agronegócio com ações de governo específicas, que ainda não foram divulgadas, e apoio aos pequenos e médios produtores rurais.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

A convenção nacional do PT escolheu, por aclamação, no dia 4 de agosto, o nome de Luiz Inácio Lula da Silva para ser o candidato à Presidência da República. O encontro também homologou o apoio do PCO e do PROS à candidatura do PT.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso em Curitiba, desde 7 de abril, após ter sido condenado em segunda instância no caso do triplex de Guarujá. O ator Sérgio Mamberti leu, na convenção, uma carta escrita por Lula, onde ele afirmou que "querem fazer uma eleição presidencial de cartas marcadas, excluindo o nome que está à frente na preferência popular em todas as pesquisas".

Manuela D' Ávila (PCdoB)

A deputada estadual Manuela D'Ávila foi confirmada pelo PCdoB, no dia 1º de agosto, como candidata do partido à Presidência da República.

Depois de ter a candidatura lançada com apoio unânime dos delegados do partido, Manuela D'Ávila apresentou bandeiras como a da reforma da segurança pública, a justiça tributária, o combate às grandes corporações e a revogação da reforma trabalhista e da emenda constitucional que estabeleceu um teto para os gastos públicos por 20 anos. Ela criticou o “desemprego recorde”, a queda da massa salarial e a evasão de jovens de universidades e escolas técnicas.

Marina Silva (Rede)

A primeira convenção nacional da Rede Sustentabilidade confirmou, por aclamação, no dia 4 de agosto, o nome Marina Silva como candidata da sigla à Presidência da República. O candidato à vice na chapa, o médico sanitarista, Eduardo Jorge, do Partido Verde (PV), também foi apresentado oficialmente no encontro.

A presidenciável prometeu uma campanha limpa, sem notícias falsas e sem destruir biografias. Se comprometeu com as reformas da Previdência, tributária e política, que acabe com a reeleição e incentive candidaturas independentes. Se eleita, Marina também disse que pretende fazer uma revisão dos “pontos draconianos” da reforma trabalhista que, segundo ela, seriam feitas a partir de um diálogo com o Congresso.

Vera Lúcia (PSTU)

Em convenção nacional, o PSTU oficializou, no dia 20 de julho, a candidatura de Vera Lúcia à Presidência da República e de Hertz Dias como vice na chapa. A escolha foi feita por aclamação pelos filiados ao partido presentes na quadra do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, na zona leste da capital paulista.

De acordo com Vera Lúcia, o plano de governo prevê reforma agrária, redução da jornada de trabalho sem redução de salário e um plano de obras públicas para atender as necessidades da classe trabalhadora.

O PSTU decidiu que não fará nenhuma coligação para a disputa presidencial, nem alianças nas eleições estaduais.


Blogbraga/Agência Brasil

Compartilhar no Whatsapp

Veja os candidatos a presidente definidos nas convenções partidárias

Segunda-feira, 23 de Julho de 2018 / Brasil

No primeiro fim de semana de convenções nacionais, os partidos políticos confirmaram cinco candidatos a presidente da República: Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSOL), Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Rabello de Castro (PSC) e Vera Lúcia (PSTU). As convenções têm de ser realizadas até 5 de agosto, e o prazo para pedir o registro das candidaturas na Justiça Eleitoral encerra-se em 15 de agosto.

A lei eleitoral permite, a partir da homologação das convenções, a formalização de contratos para instalação física e virtual dos comitês dos candidatos e dos partidos. O pagamento de despesas, porém, só pode ser feito após a obtenção do CNPJ do candidato e a abertura de conta bancária específica para movimentação financeira de campanha e emissão de recibos eleitorais.

Segundo o calendário das eleições de 2018, a partir de quarta-feira (25), a Justiça Eleitoral poderá encaminhar à Secretaria da Receita Federal os pedidos para inscrição de candidatos no CNPJ. A partir dessa data, os partidos políticos e os candidatos devem enviar à Justiça Eleitoral, para divulgação na internet, os dados de arrecadação para financiamento da campanha eleitoral, observado o prazo de 72 horas após o recebimento dos recursos.

Nas convenções nacionais, o PSL, o PDT e o PSC não escolheram os candidatos a vice. Caberá à direção nacional do PDT articular as alianças para o primeiro turno das eleições e o vice de Ciro Gomes. O PSC vai buscar um vice que agregue apoios, mas o candidato demonstrou disposição de ter uma mulher na sua chapa. No PSL, o nome forte para compor a chapa de Bolsonaro é o da advogada Janaina Paschoal, que participou da convenção ao lado do candidato a presidente.

O PSOL formou uma chapa puro sangue: Sônia Guajajara será a candidata a vice de Boulos. O partido, no entanto, disputará as eleições de outubro coligado com o PCB, que realizou convenção na última sexta-feira e aprovou a aliança. O PSTU optou por não fazer coligações. O vice de Vera Lúcia será Hertz Dias.

O PMN e o Avante realizaram ontem convenções nacionais e decidiram não lançar candidatos a Presidência da República. Na convenção, o Avante decidiu dar prioridade à eleição de deputados federais: terá uma chapa com cerca de 80 nomes e pretende eleger pelo menos cinco. O Avante não definiu se apoiará algum candidato a presidente no primeiro turno. O PMN decidiu dar apoio a nenhuma chapa nas eleições presidenciais.

No próximo sábado (28), devem reunir-se SD, PTB, PV, PSD e DC.


Blogbraga/Agência Brasil

Compartilhar no Whatsapp

Brasil registrou 62 mortes por dengue neste ano, zika tem mais casos em município baiano

Quarta-feira, 11 de Julho de 2018 / Brasil

O Brasil confirmou, em 2018, 1.659 casos de dengue, com 62 evoluções para morte. Divulgados na última sexta-feira (6) pelo Ministério da Saúde, os dados são referentes ao período de 31 de dezembro de 2017 a 9 de junho de 2018. 

No caso da zika, foram confirmados 1.674 casos em todo o país, com maior número no Sudeste. Ainda assim, o município com o maior número de casos se encontra na Bahia. De acordo com o boletim, Pé de Serra registrou índice de 1.553,5 casos por 100 mil habitantes. 

A pasta contabiliza ainda 327 mortes de crianças relacionadas ao Zika, entre 2015 e 2018. O maior número (191) está no Nordeste. Outras 53 mortes foram classificadas como prováveis, com necessidade de outros testes. Entre adultos, não houve nenhum óbito. 

Por sua vez, a chikungunya fez oito vítimas fatais no país. Até junho, foram confirmados 30.251 casos da doença, com maior concentração no Sudeste.


Blogbraga/BahiaNoticias

Compartilhar no Whatsapp

Homem que matou idoso é linchado pela população em Santa Helena

Segunda-feira, 09 de Julho de 2018 / Brasil

Na tarde do último sábado (07), um homem de nome André Felipe de Sousa Silva, conhecido como "Pesão", foi linchado por moradores depois de ter tirado a vida do idoso, José Luis de 81 anos na cidade de Santa Helena.

De acordo com informações passadas a nossa reportagem, André Felipe que era usuário de drogas, pediu 10 reais ao senhor José, o mesmo falou que não tinha dinheiro e com isso André matou o Ancião. A população enfurecida foi em busca do indivíduo, que foi encontrado dentro de uma caixa d"água em uma residência abandonada. 

A população com facão, faca e pedaços de madeira, lincharam o acusado. Com uma corda no pescoço do suspeito, a população saiu arrastando o mesmo pelas ruas.

O caso será investigado pela Polícia Civil local.


Blogbraga/Fotos de Internauta

Compartilhar no Whatsapp

Vacina contra sarampo pode ser aplicada em adultos e crianças, entenda

Quarta-feira, 04 de Julho de 2018 / Brasil

Crianças estão entre as principais vítimas de sarampo no Amazonas (Foto: Valdo Leão/Secom)

Brasil assiste em 2018 ao retorno do sarampo, infecção que já foi considerada "doença comum na infância" décadas antes de ser eliminada do Brasil em meados dos anos 1990. São dois surtos: em Rondônia (200 casos confirmados e 2 mortes) e no Amazonas (263 casos). Quatro casos também foram registrados no Rio de Janeiro e estão sob investigação. Também há notificações de 7 casos no Rio Grande do Sul.

O Ministério da Saúde acredita que vá conseguir controlar os surtos, mas ressalta que o aumento das taxas de vacinação é importantíssimo para garantir o controle da doença. Juntamente com o sarampo, o país também está atento à circulação e às baixas coberturas vacinais da poliomielite.

O Brasil recebeu o registro de eliminação do sarampo pela Organização Mundial da Saúde em 2016. Recentemente, contudo, novos casos foram introduzidos no Norte do país por uma combinação de não-imunizados brasileiros e infecções vindas da Venezuela.

"O sarampo é uma doença grave. A situação atual é triste porque é uma doença fácil de controlar e o Brasil tinha controlado. Em 30 anos de profissão, nunca vi a doença no meu consultório", diz Isabela Ballalai, pediatra e presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações).

Adultos podem tomar a vacina, gestantes devem evitar, e a doença é altamente contagiosa -- com transmissão similar a da gripe. Confira, abaixo, algumas perguntas e respostas importantes sobre a infecção.

Quem pode tomar a vacina?

Pessoas de todas as idades, diz Isabela Ballalai. O Ministério da Saúde, no entanto, disponibiliza duas doses para os indivíduos entre 12 meses e 29 anos. Na rede pública, também é possível a vacinação gratuita até os 49 anos (nesse caso, uma dose é administrada).

"Os indivíduos acima de 50 anos provavelmente já pegaram a doença e já estariam imunizados pelas altas taxas de vacinação nos mais jovens. Mas nada impede que procurem a vacina individualmente", afirma Isabela.

Quem não pode?

Gestantes, casos suspeitos de sarampo, crianças menores de seis meses de idade e pessoas imunocomprometidas (com doenças que abalam fortemente o sistema imune) .

A vacina é segura?

Sim, afirmam o Ministério da Saúde e a SBim (Sociedade Brasileira de Imunizações). Ela é feita de vírus atenuado (enfraquecido) e em décadas de imunização no mundo inteiro, apenas casos de alergia a produtos do leite contidos na vacina foram reportados.

Hoje, no entanto, há vacinas sem traços de lactoalbumina (proteína do leite da vaca).

Não lembro se tomei a vacina. Devo tomar?

"No sinal de qualquer dúvida sobre se tomou a vacina ou não, ou se teve a doença no passado, vale tomar a vacina. Na pior das hipóteses, a pessoa vai se imunizar à toa" -- Isabela Ballalai (Sociedade Brasileira de Imunizações).

A vacina tem reforço?

Não. Duas doses valem para a vida inteira. Quem já teve a doença também está protegido.

O que tem dentro da vacina?

A vacina oferecida na rede pública é a tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola.

Dentro da vacina, há os três vírus enfraquecidos, albumina e aminoácidos (proteínas), sulfato de neomicina (medicamento usado contra infecções), sorbitol (um tipo de açúcar derivado do álcool) e gelatina.

Algumas vacinas contêm traços de proteína do leite da vaca.

O que é o sarampo? Quais os sintomas? É grave?

O sarampo é uma doença causada por um vírus, que já foi muito prevalente na infância de todas as crianças brasileiras, mas está eliminada do Brasil desde os anos 1990 -- apesar dos surtos pontuais desde então.

Os sintomas começam com febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular e corrimento no nariz, informa a Fiocruz. Pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia e convulsões. No limite, a doença provoca lesão cerebral e morte.

Manchas vermelhas na pele são uma característica conhecida da doença. Elas aparecem primeiro no rosto e vão em direção aos pés.

O vírus também pode atingir as vias respiratórias, causar diarreias e até infecções no encéfalo.

Todo mundo pode pegar sarampo? Como é a transmissão? Como prevenir?

Sim. "A doença tem distribuição universal", diz o Ministério da Saúde.

"Todo mundo pode pegar, rico, pobre, adulto ou criança", informa Isabella.
A transmissão ocorre diretamente, de pessoa para pessoa, por tosse, espirro, fala ou respiração. Por isso, a doença é considerada altamente contagiosa e a única forma efetiva de prevenção é a vacina.

Tem teste para identificar o sarampo?

O teste para verificar a presença do vírus é feito por meio da identificação de anticorpos específicos contra o micro-organismo. Só é possível fazer o exame, no entanto, na fase aguda da doença -- desde os primeiros dias até quatro semanas após o surgimento das alterações na pele.

Algum grupo está mais vulnerável? Há algum 'grupo de risco'?

Todos podem pegar a doença, mas recém-nascidos estão mais vulneráveis. Gestantes, imunossuprimidos (pessoas com doenças que abalam fortemente a imunidade) e aqueles com grave problema de desnutrição estão mais suscetíveis a infecções graves.

Tem tratamento?

Segundo o Ministério da Saúde, não há tratamento específico para o sarampo. É recomendável a administração de vitamina A para reduzir casos fatais.

Já nos casos sem complicações mais graves, é recomendável manter a hidratação, uma boa alimentação e o controle da febre.


Blogbraga/G1

Compartilhar no Whatsapp

Profissional coloca-se a disposição para uma oportunidade de emprego

Terça-feira, 26 de Junho de 2018 / Brasil

 

Maycon Renan Totti Gonçalves 28 anos, solteiro, recém formado em engenharia agronômica, na Faculdades Gammon (ESAPP) Paraguaçu Paulista - SP. 
Conhecimentos gerais, cultura soja, milho, pecuária e conhecimento no dia-dia de propriedade. Habilitação A/D, estou em busca de oportunidade de trabalho/emprego.

Meus contatos: 018 997332090 / 018 996596178 - maycontottiagro@yahoo.com.br.


Blogbraga/Emprego

Compartilhar no Whatsapp

Campanha de vacinação contra gripe termina na sexta em todo o país

Terça-feira, 12 de Junho de 2018 / Brasil

A campanha de vacinação contra a gripe será encerrada na próxima sexta-feira (15) em todo o país. Dados do Ministério da Saúde mostram que 13 milhões de pessoas que fazem parte do público-alvo ainda precisam ser imunizadas. A expectativa da pasta é vacinar 54,4 milhões de pessoas até o final da campanha.

Devem receber a dose crianças de 6 meses a menores de 5 anos, idosos a partir de 60 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais também devem ser imunizadas. Neste caso, é preciso apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle de doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos em que estão registrados.

Cobertura

Até 7 de junho, foram vacinadas 41,2 milhões de pessoas contra a gripe. O público com maior cobertura é o de puérperas (86,7%), seguido pelos idosos (86,6%), professores (85,4%) e indígenas (81,7%). Entre os trabalhadores de saúde, a cobertura ficou em 79,7,6% e gestantes 62%. O grupo com menor índice de vacinação foram as crianças, entre seis meses e cinco anos, a cobertura é de apenas 57,5%.

Casos

O último boletim do ministério aponta que, até 2 de junho, foram registrados 2.315 casos de influenza em todo o país, com 374 óbitos. Do total, 1.395 casos e 243 óbitos foram pelo vírus H1N1, além de 463 casos e 70 óbitos por H3N2. Há ainda o registro de 236 casos de influenza B, com 29 óbitos, e 221 casos de influenza A não subtipado, com 32 óbitos.

Vacina

A pasta informou que a vacina é segura e reduz complicações que podem provocar casos graves da doença, internações e óbitos. A dose utilizada na rede pública de saúde protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul ao longo do último ano, incluindo o H1N1 e o H3N2.

Reações adversas

Ainda de acordo com o ministério, após a aplicação da dose, podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. As manifestações são consideradas benignas e os efeitos costumam passar em 48 horas.

A vacina da gripe é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. É importante procurar o médico para mais orientações.


Blogbraga/Agência Brasil

Compartilhar no Whatsapp

Greve de caminhoneiros deixa rastro de prejuízos bilionários em todo o País

Sexta-feira, 01 de Junho de 2018 / Brasil

Foto: Blogbraga

Apesar de alguns pontos de manifestação ainda espalhados pelo País, a paralisação dos caminhoneiros dá claros sinais de que chegou ao fim. Em todos os Estados, a vida começa a voltar ao ritmo normal. O quadro de desabastecimento inicia sua reversão: o combustível está chegando aos postos, os alimentos voltam aos supermercados. Os reflexos da crise provocada pelos protestos, porém, ainda devem perdurar por bastante tempo.

Nem todos os setores têm um levantamento das perdas. Quem já fez essas contas mostra que o prejuízo será contabilizado na casa dos bilhões. O número dos setores consultados pelo Estado já chega a pelo menos R$ 75 bilhões em perdas.

Mas o impacto na economia será bem maior. Economistas já levam em conta os efeitos da greve nas revisões, para baixo, que vêm fazendo para o desempenho do PIB. O número, que era próximo de 3% no início do ano, agora é de 2%. E há outros efeitos. O governo teme que a paralisação dos motoristas abra caminho para outras greves de forte impacto no País. Os petroleiros já seguiram esse caminho.

Perdas. As projeções preliminares de diversos segmentos da economia após dez dias de greve dos caminhoneiros apontam para perdas de mais de R$ 75 bilhões. Em alguns casos, os prejuízos ainda podem aumentar mesmo após o fim do movimento, pois, dependendo do tipo de atividade, a retomada poderá levar de uma semana a 20 dias.

Também há preocupação sobre como será a volta das atividades. “Não sabemos ainda, por exemplo, como será precificado o aumento do frete”, afirma José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic). “Dá arrepios só de pensar.”

O setor calcula que deixou de gerar, até agora, R$ 3,8 bilhões, e precisará de duas a três semanas para retomar totalmente as atividades.

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) estima que as áreas de comércio e serviços deixaram de faturar cerca de R$ 27 bilhões entre os dias 21 e 28.

“São nítidos os transtornos causados pelo desabastecimento generalizado, que pode provocar danos ainda maiores ao País, como aumento do desemprego, falta de gêneros alimentícios, estoques, baixo fluxo de vendas e prejuízo ao desenvolvimento econômico”, diz o presidente da Fecomércio de Minas Gerais, Lúcio Emílio de Faria Júnior.

Os supermercados contabilizam R$ 2,7 bilhões em prejuízos. Para os distribuidores de combustível, as perdas já atingem R$ 11,5 bilhões.

Volta lenta. Com menos bloqueios nas estradas e a volta, lentamente, do abastecimento de combustíveis, algumas empresas estão retomando operações.

Das 167 unidades produtoras de aves, ovos e suínos que estavam paradas em todo o País, 46 reiniciaram atividades nesta quarta-feira, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). As empresas do setor acumulam prejuízos de R$ 3 bilhões e perderam 70 milhões de aves, mortas por falta de ração. Com parte do abastecimento retomado, a mortandade deve acabar.

Segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), a cadeia produtiva da pecuária de corte deixou de movimentar entre R$ 8 bilhões e R$ 10 bilhões.

Os produtores de leite perderam R$ 1 bilhão, parte disso com o descarte de mais de 300 milhões de litros de leite. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) calcula que produtores em geral devem levar de seis meses a um ano para se reestruturarem.

O setor têxtil estima perdas de R$ 1,8 bilhão e, até quarta-feira, ainda tinha cerca de 70% das empresas paradas ou prestes a parar. A previsão da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) é de que serão necessários pelo menos 20 dias para que a situação seja normalizada.

Carros. Na indústria automobilística quase todas as fábricas estão paradas desde sexta-feira. O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, diz que “a maioria retomará a produção, de maneira gradual, a partir de segunda-feira”. As unidades da Fiat em Minas Gerais e da Jeep em Pernambuco voltam a operar nesta quinta-feira.

A Anfavea não divulgou prejuízos, mas, com base na produção média de veículos em abril, cerca de 51 mil veículos deixaram de ser fabricados. O resultado deste mês poderá interromper uma sequência de 18 meses de alta na comparação interanual.

Até terça-feira as vendas do setor tinham caído 11% em relação a abril (para 192,8 mil unidades), mas ainda devem superar o volume de maio de 2017, de 195,6 mil unidades.

A indústria química soma R$ 2,5 bilhões em perda de faturamento e calcula em dez dias o período para retomada de atividades.


Blogbraga/Estadão

Compartilhar no Whatsapp

Valor do diesel vai estar 0,46 centavos mais barato a partir desta sexta, diz ministro

Quinta-feira, 31 de Maio de 2018 / Brasil

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou nesta quarta-feira (30) que o preço do litro do diesel vai estar R$ 0,46 mais barato a partir desta sexta-feira (1º) em comparação com o valor pago no último dia 21 de maio.

A informação foi divulgada após uma reunião entre ministros que monitoram a situação da greve nacional de caminhoneiros. "O desconto será obrigatoriamente repassado. Se no dia 21 de maio, no posto de combustíveis, o caminhoneiro abasteceu um litro de diesel por R$ 3,46, por exemplo, obrigatoriamente, a partir do momento que o posto for abastecido, [o litro] terá de ser R$ 3,00. Terá que haver o desconto", explicou Marun.

O desconto no preço do diesel pelo período de 60 dias foi concedido pelo governo federal como uma tentativa de encerrar a greve dos caminhoneiros. O desconto foi possível com redução a zero das alíquotas do PIS-Cofins e da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) sobre o combustível.


Blogbraga/BahiaNoticias

Compartilhar no Whatsapp

Vacinação contra gripe é prorrogada por causa de protesto dos caminhoneiros

Quarta-feira, 30 de Maio de 2018 / Brasil

Ministério da Saúde prorrogou a campanha de vacinação contra a gripe até o dia 15 de junho por causa do protesto dos caminhoneiros, que está no 9º dia de paralisação.

Em comunicado divulgado nas redes sociais, o ministério declarou: "A recomendação do Ministério da Saúde, enviada aos gestores locais nesta terça-feira (29), foi adotada em decorrência dos possíveis impactos da paralisação dos caminhoneiros no transporte público e nos atendimentos em serviços de saúde".

Ainda de acordo com o comunicado do ministério, não houve problema de abastecimento dos estados com estoques da vacina: "A campanha estava prevista para encerrar nesta sexta-feira (1º de junho), sendo que 100% das doses da vacina (60 milhões) já foram distribuídas aos estados, que estão devidamente abastecidos".

A Influenza (gripe) é uma infecção respiratória e existem três tipos: A, B e C. Os sintomas aparecem de uma hora para a outra e podem ser febre alta, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. Casos mais graves apresentam complicações como pneumonia e síndrome respiratória aguda grave (nesses casos é necessária a internação).

Gripe e resfriado: qual a diferença? Resfriado também é uma doença respiratória, mas é causado por um vírus diferente. Os sintomas incluem tosse, congestão nasal, coriza, dor no corpo e dor de garganta leve. São parecidos com os da gripe, mas duram menos tempo e são mais brandos.

Veja qual é o público-alvo para receber as doses gratuitamente no SUS:

pessoas a partir de 60 anos
crianças de seis meses a cinco anos
trabalhadores da área de saúde
professores das redes pública e privada
mulheres gestantes e puérperas
indígenas
pessoas privadas de liberdade (incluindo adolescentes cumprindo medidas socioeducativas)
profissionais do sistema prisional
portadores de doenças crônicas (Este público deve apresentar prescrição médica no ato da vacinação)
Os especialistas lembram que a vacina da gripe não causa gripe. Ela não contém o vírus. As reações que da vacina pode dar são: dor no braço, braço quente e inchaço. Em casos raros, a pessoa pode ter um mal-estar leve.

Quem toma a vacina, está protegido contra os tipos de influenza mais comuns que estão circulando naquele território -- e não contra qualquer forma de gripe ou condição respiratória. As linhagens e tipos de vírus são definidos anualmente pela Organização Mundial de Saúde; no hemisfério Sul, os micro-organismos que devem constar no imunizante são disponibilizados em setembro do ano anterior às campanhas.


Blogbraga/G1

Compartilhar no Whatsapp

Roberto Muniz critica proposta do governo para que estados ajustem ICMS

Quarta-feira, 30 de Maio de 2018 / Brasil

O senador Roberto Muniz (PP-BA) criticou duramente, durante pronunciamento no Senado nesta terça-feira (29), a política de reajuste de preço dos combustíveis da Petrobras, que culminou com a paralisação dos caminhoneiros e o desabastecimento do País, e o pedido do governo federal aos estados para que avaliem ajustes no ICMS.

“É completamente inaceitável a tentativa do Governo Federal de transferir para os Estados a responsabilidade pela solução de uma crise que foi gerada e que foi provocada pela falta de presença da União, do Governo Federal, na gestão da empresa pública Petrobras, através de uma política de preços de combustível que é absurda, perversa e irresponsável. Colocar sobre os Estados federados o ônus de qualquer redução da alíquota sobre os combustíveis, além de ser desrespeitosa, é uma atitude inconsequente e também inaceitável”, discursou Muniz.

O senador baiano se solidarizou com os governadores dos estados do Nordeste e Minas Gerais, que manifestaram em carta o descontentamento diante da proposta do governo federal para que renunciassem às receitas do ICMS. “Precisamos rever a governança das empresas estatais, que não podem estar a serviço simplesmente do tecnicismo dos tecnocratas. Não adianta simplesmente ter a solução somente para o diesel se não olhar também para o gás de cozinha e para a gasolina”, avaliou.

Ele estranhou a ausência da Agência Nacional de Petróleo (ANP) no debate e alertou sobre o ambiente delicado diante da proximidade das eleições: “Precisamos ser mais ágeis nas soluções para essa crise, que pode se alastrar e comprometer completamente esse ambiente democrático, porque estamos muito próximos à eleição e não podemos tirar a esperança do povo brasileiro, porque só através do voto direto, da representatividade oriunda do voto, da urna é que podemos retomar uma estabilidade política e institucional neste País”.

 


Blogbraga/Assessoria de Comunicação do senador Roberto Muniz (PP-BA)

Compartilhar no Whatsapp

Produtores de frutas do Vale do São Francisco estimam 570 milhões de reais em prejuízos com a paralisação dos caminhoneiros

Terça-feira, 29 de Maio de 2018 / Brasil

Maior exportador de frutas do país, o Vale do São Francisco já contabiliza um prejuízo de R$ 570 milhões ao final do oitavo dia de paralisação dos caminhoneiros. A conta foi apresentada na tarde desta segunda-feira (28), pelo presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR), Jailson Lira.

Segundo o representante do mais importante segmento da economia regional, a paralisação vem atingindo fortemente o setor, que deixou de comercializar nesta semana para os mercados interno e externo 40 mil toneladas de uvas e 60 mil toneladas de mangas, além de mais 200 mil toneladas de outras frutas, a exemplo de acerola, banana, coco e mamão.

“Com todo esse tempo de paralisação, nossas câmaras frias já estão com a ocupação esgotada, não oferecendo mais espaço para o armazenamento das frutas colhidas recentemente. O resultado são pomares e mais pomares com frutas apodrecendo no campo”, lamentou.

Jailson Lira advertiu ainda que 80% da safra a ser colhida essa semana poderá ficar comprometida por falta de mercado. “Além de termos cancelados todos os novos pedidos do mercado interno, outro agravante é a falta de combustível para os tratores e pulverizadores, o que pode ocasionar a perda das safras de exportação de setembro e outubro”, pontuou.

Ao final da reunião, os produtores assinaram um documento, onde reconhecem a legitimidade do movimento dos caminhoneiros, “por que também sentem o alto custo do diesel na atividade agrícola” e solicitam dos poderes competentes a agilização das negociações, liberação das estradas e acessos aos portos, além da agilização dos documentos de liberação das frutas, a exemplo da Permissão de Trânsito de Vegetais (PTV).


Blogbraga/CLAS Comunicação & Marketing

Compartilhar no Whatsapp

Temer diz que acionou forças federais para desbloquear estradas

Sexta-feira, 25 de Maio de 2018 / Brasil

Temer anuncia uso de forças federais contra paralisação dos caminhoneiros

O presidente Michel Temer disse nesta sexta-feira (25) que acionou forças federais para desbloquear estradas, ocupadas por caminhonheiros em greve. Ele fez um pronunciamento no Palácio do Planalto.

"Comunico que acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos senhores governadores que façam o mesmo", disse o presidente.

Segundo assessoria do Ministério da Segurança Pública, as forças federais incluem: Exército, Marinha, Aeronáutica e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Temer disse que tomou a decisão para evitar que a população fique sem produtos de "primeira necessidade".

"Não vamos permitir que a população fique sem gêneros de primeira necessidade. Não vamos permitir que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas. Não vamos permitir que crianças sejam prejudicadas pelo fechamento de escolas. Como não vamos permitir que produtores tenham seu trabalho mais afetado", afirmou Temer.

Temer tomou a decisão depois de se reunir com ministros para uma "avaliação de segurança" sobre a situação no país, já que a greve dos caminhoneiros continuou, apesar do acordo firmado entre governo e representantes da categoria na noite de quinta (24).

A paralisação caminhoneiros chegou ao quinto dia nesta sexta-feira, com bloqueios de rodovias em protesto contra a alta do diesel e a política de preços da Petrobras, em vigor desde julho de 2017.

Temer disse que o governo atendeu os pedidos dos caminhoneiros, mas, segundo ele, uma "minoria radical" dos grevistas não quis cumprir o acordo.

Em razão da paralisação, há registros de falta de alimentos em supermercados e de combustível em postos de gasolina, o transporte coletivo em diversas cidades foi afetado, indústrias pararam atividades e voos começaram a ser cancelados por falta de combustível nos aeroportos.

O governo federal e representantes de caminhoneiros anunciaram proposta para suspender a greve por 15 dias. Contudo, as manifestações continuaram pelo país.

Mais cedo, Padilha afirmou que é preciso "dar um tempo" aos caminhoneiros, pois o fim da greve não ocorre de forma imediata. O ministro afirmou que o governo "confia" que a categoria vai cumprir o acordo nos próximos dias.

Na quinta, entre outros pontos, o governo propôs aos caminhoneiros manter a redução de 10% do preço do óleo diesel nas refinarias e reajustar o preço com periodicidade mínima de 30 dias.

A partir disso, a cada 30 dias, a Petrobras vai estipular o preço que será cobrado nas refinarias ao longo do mês. A União vai compensar a Petrobras por eventuais perdas e a estimativa é de que repasse R$ 4,9 bilhões à estatal até o final do ano.


Blogbraga/G1

Compartilhar no Whatsapp

NOTA À IMPRENSA - GREVE DOS CAMINHONEIROS

Quinta-feira, 24 de Maio de 2018 / Brasil

A Fiesp manifesta sua preocupação e indignação em relação à greve dos caminhoneiros que já está gerando prejuízos importantes para a indústria e para a sociedade como um todo. Espera-se que em um prazo curto seja construído um entendimento para que a situação volte à normalidade.

Paulo Skaf

Presidente da Fiesp e do Ciesp


Blogbraga/ Fiesp

Compartilhar no Whatsapp

Brasileiro precisa trabalhar três dias para encher o tanque do carro

Quarta-feira, 23 de Maio de 2018 / Brasil

Com combustível custando R$ 4,28 o litro, abastecer o veículo pode consumir quase 10% do salário médio da população, que é de R$ 2.169

Com a gasolina mais cara, os brasileiros estão consumindo uma fatia maior do salário para abastecer o carro. Levando em conta o rendimento médio do trabalhador, de R$ 2.169 no primeiro trimestre, é possível calcular que se gastam o equivalente a três dias de trabalho para encher um tanque de 50 litros.

O custo médio da gasolina segundo o último levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) era de R$ 4,284. Pagando esse valor, o tanque cheio sai por R$ 214,20: 9,87% do salário médio do trabalhador, de acordo com a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios).

Vale destacar que a gasolina brasileira não está entre as mais caras do mundo. O litro custa hoje em torno de US$ 1,17, enquanto no Chile, por exemplo, sai por US$ 1,28 (R$ 4,53). Em Portugal, custa US$ 1,86 (R$ 6,34), segundo dados da plataforma Global Petrol Prices (veja gráfico abaixo).

A diferença é que nesses países a renda média do trabalhador é superior à brasileira. No Chile, o rendimento mensal gira em torno de R$ 4.750. Usando a mesma conta, os chilenos precisam trabalhar 1,5 dia para encher o tanque.

A Noruega tem uma das gasolinas mais caras do mundo (em torno de R$ 7,09 o litro), mas isso não significa que os cidadãos daquele país tenham dificuldade na hora de abastecer o carro, apesar de possuir o maior percentual do mundo de veículos elétricos em sua frota. O salário médio do norueguês é de R$ 20.018, o que faz com que ele tenha que trabalhar 1,8 dia para completar o tanque do carro.

"Quando você não tem ganhos de renda reais e crescimento econômico com reflexo na renda, como é o caso do Brasil, e existe algum tipo de descolamento em relação a produtos com preço determinado internacionalmente, ocorre essa distorção que estamos vendo. Ou seja, se houvesse geração de renda, esse problema poderia até existir, mas seria melhor equalizado", explica o professor de economia do Ibmec/SP Walter Franco.

Um levantamento recente da agência de notícias econômicas Bloomberg mostra que o Brasil é o 11º país do mundo com maior custo para adquirir gasolina se for considerada a renda média. Os brasileiros gastam 4,62% do salário de um dia para comprar um litro de gasolina.

Na França, onde o litro custa o equivalente a R$ 6,31, o trabalhador gasta 1,5% do salário de um dia por litro.

"A renda per capita do Brasil, além de ser baixa é muito mal distribuída. [...] Na Europa, a gasolina é mais cara que no Brasil e as pessoas não reclamam, porque elas têm uma renda maior e há alternativas ao transporte particular, que incentivam o uso do transporte público", explica o professor e economista Fernando Botelho, da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo).

Política de preços

Em outubro de 2016, a Petrobras adotou uma nova forma de precificar a gasolina e o diesel que saem das refinarias, acompanhando mensalmente a variação do barril de petróleo no mercado internacional e o dólar. Desde junho do ano passado, a empresa passou a fazer os reajustes com mais frequência, até diariamente.

No mês em que começou a vigorar a nova regra, o preço médio da gasolina no país estava em R$ 3,55, enquanto o dólar era cotado a R$ 3,25 e o barril de petróleo no mercado internacional a US$ 49,95.

Passado quase um ano, a gasolina passou para R$ 4,28 (alta de 20,5%), o dólar está em R$ 3,64 e o barril de petróleo custa US$ 80,21 (alta de 47,4%).

Os EUA têm uma política de preços similar à brasileira, mas não sofrem com variação cambial porque o barril de petróleo é negociado em dólar.

Há um ano, o galão de gasolina (3,785 litros) era vendido a US$ 2,448, em média. Em abril, fechou em US$ 2,795: alta de 14,1%. O preço já é o mais alto desde julho de 2015, segundo dados da Secretaria de Estatísticas Trabalhistas dos Estados Unidos.

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou nesta terça-feira (22) que a forma de precificar a gasolina e o diesel continuará a mesma porque as altas se devem a "fatores externos" e "a empresa tem obrigação de refletir isso".

Por outro lado, o governo tenta conter a pressão cambial das últimas semanas, com o Banco Central atuando diariamente no mercado, o que já gerou uma queda sensível da moeda norte-americana.

E na manhã de terça, a Petrobras anunciou redução no preço da gasolina nas refinarias a partir desta quarta-feira (23).

Para o professor Botelho, da FEA-USP, a política de preços da Petrobras é "muito transparente". No entanto, ele acha que a empresa poderia ter espaçado os reajustes para evitar que as altas do câmbio e do barril de petróleo chegassem tão rápido à população.

"Não se trata de represar preços, porque isso já causou muitos prejuízos à Petrobras no passado, mas apenas de não fazer diariamente as revisões".

No entanto, ele diz que, "infelizmente", o consumidor deverá arcar com esse custo adicional da gasolina. "Senão, a conta vai sobrar para o governo e aí todos pagarão indiretamente". 

Alta do diesel e protesto de caminhoneiros

Além dos motoristas de carros, os caminhoneiros também estão enfrentando dificuldades para encher o tanque em razão da alta do diesel. Por causa disso, os caminhoneiros entraram no terceiro dia de protestos nesta quarta-feira (23). 

Para agradar a categoria, o governo federal anunciou ontem que cortará um dos impostos sobre o diesel, a Cide, para reduzir o preço do combustível. Esse imposto rende cerca de R$ 2,5 bilhões anuais em arrecadação para o governo.

Para compensar o desfalque, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, anunciou que foi fechado um acordo com o Congresso para que seja aprovada a reoneração da folha de pagamentos de alguns setores da economia.


Blogbraga/R7

Compartilhar no Whatsapp

Família pede ajuda para custear tratamento de jovem com câncer

Quarta-feira, 23 de Maio de 2018 / Brasil

Queridos amigos, estou em uma campanha para ajudar minha prima Flaviane que está com câncer em fase metástase. Infelizmente só há duas chances pro tratamento, a primeira (e o milagre de Deus) e a segunda é  uma injeção faslodex que custa em média R$: 1.750.00, ela prescisava desse tratamento por 12 meses.
Peço a ajuda de vocês, se não puder ser em dinheiro, coloque ela nas orações de vocês. Isso já é uma grande passo.

#Somostodosflavi
 
Acesse o link faça sua contribuição não importa o valor, pouco com Deus e muito. 

www.vakinha.com.br/vaquinha/somostodosflavi

Meu nome é Flaviane, tenho 27 anos, aos 21 anos fui diagnosticada com câncer de mama em estágio já avançado, tive que retirar a mama e me submeter a sessões de quimioterapia e radioterapia. Após vários tratamentos, exames apontaram metástase óssea, e no momento o tratamento indicado pelo oncologista é a vacina Faslodex do laboratório Astrazeneca que custa em média R$ 1.750,00 precisa desse tratamento por no mínimo 12 meses.

Preciso da sua ajuda Urgente para iniciar o tratamento que terá um custo total de R$ 21.000,00 além das despesas adicionais com o tratamento.

Objetivo: R$ 23.000,00

Contamos com a ajuda de vocês, juntos somos mais fortes!

 


Blogbraga/Solidariedade

Compartilhar no Whatsapp
TOP Qualidade 2019
Rádio Cidade FM 95,9
Facebook
Tempo
Moeda
Conversor de Moeda
Cotação

Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
PARCEIROS
Imperial Global Epis BA Delicia CMO Dique Denuncia Kenni Henke Vida Farma Apple Shop Fontana DPVAT Barreiras Unopar Bem Brasil Pastel Polícia Civil Contabilidade Rondon Extreme Click Tec Elo Aço Oeste Manutenção Online Celulares Silvano Santos G7 PM Neli Coyote Guarda Municipal MaxCar Grupo Marabá CISO Fashion Work Sportime Jaú DM Reparos Casa da Ferramenta Mimoaço Paraíba Sutrans DBT Capital Imóveis Rabelo Dupará Açaí P&F Mineiros Evolucao Dr. Márcio Rogério Luz motos