ALBA Modelo Gestão Bahia

NOTÍCIAS

Ministério do Meio Ambiente libera recursos para Caatinga e matas ciliares do Rio São Francisco

Quarta-feira, 03 de Outubro de 2018 / Bahia

O aniversário dos 517 anos do Rio São Francisco será lembrado nesta quinta-feira (4), em Juazeiro - BA, com um motivo a mais para comemorar. Durante as festividades, o Ministério do Meio Ambiente, através da Secretaria de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental, anuncia a liberação de um aporte no valor de R$ 262.520,40 para a continuidade do projeto de recuperação de áreas degradadas do bioma Caatinga, incluindo a recuperação das matas ciliares do Rio São Francisco. 

O projeto, uma parceria público-privada entre a Agrovale e o Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas da Caatinga (CRAD), da Universidade Federal do Vale do São Francisco -  Univasf, começou em 2016. Desde então, vários trabalhos estão sendo realizados no sentido de reflorestar este que é o único ecossistema integralmente brasileiro com 4,5 mil espécies vegetais, mas com desafios importantes sobre as melhores técnicas de restauração de matas ciliares. 

À frente de uma equipe multidisciplinar de biólogos e engenheiros agrônomos, o professor da Univasf (Campus de Ciências Agrárias, Petrolina, PE), José Alves de Siqueira, acompanha também a recuperação das matas ciliares através do desenvolvimento de espécies típicas como jatobá, ingazeira e o marizeiro, a partir do manejo dos locais invadidos pelas algarobas. Estima-se que a algaroba já invadiu cerca de 1 milhão de hectares da Caatinga. Ainda durante os trabalhos, são identificados os melhores modelos para a recuperação das áreas ribeirinhas do Velho Chico. 

Invasão Biológica 

De acordo com José Alves, o aporte financeiro chega em boa hora pois os trabalhos realizados, por exemplo, com a invasão da algaroba estão ajudando a diminuir os impactos negativos para o ecossistema. “A invasão biológica da algaroba é um dos maiores gargalos para a recuperação das matas ciliares do Velho Chico e nossos esforços concentrados (Univasf e Agrovale), estão no caminho certo para a solução deste problema”.

A coordenadora de Meio Ambiente da Agrovale, Thaisi Tavares, também comemorou o aporte do recurso lembrando que o convênio vai até junho de 2019. “Nossa população precisa se conscientizar da gravidade que são as invasões de espécies exóticas, do desmatamento e da degradação ambiental. Ao buscarmos a conservação das espécies e a reintrodução de espécies nativas, conseguimos um meio ambiente mais equilibrado e assim bem mais agradável”, concluiu.


Blogbraga/CLAS Comunicação & Marketing

Compartilhar no Whatsapp
TOP Qualidade 2019
Mundial FM 91,3
Facebook
Tempo
Moeda
Conversor de Moeda
Cotação

Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
PARCEIROS
Casa da Ferramenta Global Click Tec Online Celulares Elo Aço DBT AUTOCAR Mineiros Kenni Henke Vida Farma Cultura Neli Dupará Açaí PM Fontana G7 Unopar Delicia Mimoaço Imperial Contabilidade Rondon Rabelo Oeste Manutenção P&F Rede Multiassistencia DM Reparos Guarda Municipal Silvano Santos Mimoso Segurança Mimogás Polícia Civil Jaú Forte Grãos Floral Paraíso Ademilar Extreme Evolucao CISO MaxCar Pantanal Digital Informatica Dique Denuncia Paraíba Luz motos DPVAT Barreiras Dr. Márcio Rogério Sportime Grupo Marabá Coyote