Modelo Gestão Bahia Bahia Farm Show

NOTÍCIAS

UESB debate situação de risco de barragens na Bahia

Terça-feira, 26 de Março de 2019 / Bahia

Com o recente rompimento da barragem de rejeitos de minério na cidade Brumadinho, em Minas Gerais, discutir o assunto da mineração e da segurança de barragens se tornou ainda mais emergente. Por isso, o Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Uesb promoveu um Encontro Interdisciplinar para tratar da temática com especialistas e autoridades do assunto na Bahia.

Segundo a promotora regional de Meio Ambiente do Ministério Público do Estado da Bahia, Karina Cherubini, a população baiana não precisa estar preocupada com o rompimento de barragens no estado até o momento. “Na Bahia, nós temos dez barragens em situação de risco de vulnerabilidade – nenhuma na região Sudoeste da Bahia. Mas essa situação se refere a uma deficiência de estrutura que pode ser revertida sem maiores dificuldades, basta apenas o investimento para manutenção dessas barragens”, explicou.

A promotora destacou ainda os dados divulgados pela Agência Nacional de Águas em 2018, que aponta uma grande adesão da Bahia no cadastro de barragens do país: “a Bahia cadastrou mais barragens que outros estados. No momento que ela faz o seu dever de casa e aponta que existem as barragens cadastradas e suas falhas, é claro que vai ter mais números que outros estados que não cadastraram e pode estar em situação de maior perigo”.

Na região Sudoeste, o Ministério Público Estadual acompanha a situação das barragens de Água Fria 1, Água Fria 2, Serra Preta e do Rio Catolé desde 2015, sendo responsabilidade do Ministério Público Federal esse processo de fiscalização das barragens de mineração.

Abordagem científica – A proposta do Encontro foi justamente debater esses dados e as informações divulgadas pela mídia, no intuito de chegar a um diagnóstico baseado em análises mais técnicas e científicas. “Podemos nos apegar necessariamente à produção midiática e ao frenesi das informações. Mas podemos apostar em uma postura crítica, como estamos fazendo, ao convidar agentes sociais que estejam atuando junto à problemática para poder nos fornecer um conjunto de percepções e análise de dados”, argumentou o professor Luiz Artur Cestarini, coordenador do evento.

Com a proposta de abordar um tema que emerge na sociedade – um dos objetivos desses encontros –, o evento promoveu duas mesas com focos que se complementaram: a primeira, sobre os impactos sociais; e a segunda trazendo questões mais técnicas sobre o assunto.


blogbraga/Ascom Uesb

Compartilhar no Whatsapp
TOP Qualidade 2019
Mundial FM 91,3
Facebook
Tempo
Moeda
Conversor de Moeda
Cotação

Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
PARCEIROS
Forte Grãos Elo Aço Unopar Polícia Civil Imperial MaxCar Dr. Márcio Rogério Coyote Cultura Mineiros Sportime Ademilar Dique Denuncia Grupo Marabá Paraíba Oeste Manutenção G7 Aliança Rede Multiassistencia Sutrans Global PM Vida Farma DM Reparos Silvano Santos Digital Informatica Mimoaço DPVAT Barreiras Fontana AUTOCAR Dupará Açaí Luz motos Extreme Guarda Municipal CISO Rabelo Neli Mimoso Segurança Jaú Kenni Henke Pantanal Casa da Ferramenta Delicia Contabilidade Rondon Evolucao P&F Click Tec DBT Bem Brasil Pastel Online Celulares